As capitais brasileiras estão abaixo da 87ª posição no ranking mundial de 105 cidades mais preparadas para rupturas tecnológicas, segundo relatório da consultoria Oliver Wyman que avaliou as principais cidades da América Latina, América do Norte, Europa, Ásia-Pacífico e Oriente Médio e Norte da África que estão na vanguarda das transformações digitais.

O relatório comparou quatro critérios (estratégia visionária para inovação, capacidade de execução, infraestrutura e desenvolvimento tecnológico para o futuro) de todas as 105 cidades e para cada item estabeleceu uma nota com escala de 0 a 100. Quanto mais distantes de 100 pontos, menos bem preparadas estão as cidades.

Rio de Janeiro com 38.6 está em 87ª posição; São Paulo com 37.6 ocupa o 90º lugar; Brasília aparece na 101ª posição com 30.1; e Curitiba está em 103º lugar com 28.9.

• 87ª – Rio de Janeiro (38.6)

• 90ª – São Paulo (37.6)

• 101ª – Brasília (30.1)

• 103ª – Curitiba (28.9)

Ranking América Latina

Santiago e Bogotá lideram posições na região.

• 80ª – Santiago (40.9)

• 81ª – Bogotá (40.7)

• 87ª – Rio de Janeiro (38.6)

• 89ª – Cidade do México (37.9)

• 90ª – São Paulo (37.6)

• 93ª – Buenos Aires (36.2)

• 101ª – Brasília (30.1)

• 102ª – Lima (29.1)

• 103ª – Curitiba (28.9)

Cidade asiática lidera ranking mundial

Singapura está entre as cidades mais preparadas no mundo para rupturas tecnológicas, com a melhor avaliação considerando a sua estratégia visionária para inovação, a capacidade de execução, infraestrutura e o desenvolvimento tecnológico. Segundo o relatório da Oliver Wyman, no panorama internacional, Singapura aparece em primeiro lugar com nota máxima de 75.8.

A cidade asiática é seguida por Londres com 75.6, e Nova Iorque, com 72.7, em segunda e terceira posição no ranking global.

O estudo traz uma lista com as 10 cidades mais preparadas no mundo. Além de Singapura, Londres e New York, San Francisco, Paris, Estocolmo, Amsterdã, Boston, Berlin e Sydney completam a lista.

Ranking global das 10 cidades mais preparadas

• 1ª – Singapura (75.8)

• 2ª – Londres (75.6)

• 3ª – New York (72.7)

• 4ª – San Francisco (71.9)

• 5ª – Paris (71.0)

• 6ª – Estocolmo (70.4)

• 7ª – Amsterdã (68.6)

• 8ª – Boston (68.5)

• 9ª – Berlin (67.3)

• 10ª – Sydney (67.3)

De acordo com o relatório, a liderança de cada país no ranking leva em consideração o seu interesse em reconhecer as oportunidades, ter uma visão clara de futuro com políticas estabelecidas e recursos disponíveis para executar os seus projetos, a infraestrutura disponível e a preparação de capital humano para as rupturas tecnológicas.

Xangai é a cidade mais otimista do mundo em relação às rupturas tecnológicas

O levantamento também avaliou o otimismo das cidades em relação às rupturas tecnológicas. Nesse aspecto, Xangai obteve 93% de qualificações positivas dos entrevistados, com a maioria afirmando ter um sentimento extremamente positivo em relação às transformações tecnológicas.

Sobre a Oliver Wyman

A Oliver Wyman é uma empresa líder mundial em consultoria de gestão. Com escritórios em mais de 50 cidades em 26 países, a Oliver Wyman combina o profundo conhecimento da indústria com expertise especializada em estratégia, operações, gestão de risco e transformação da organização. A empresa tem mais de 4700 colaboradores em todo o mundo, que auxiliam seus clientes a otimizar seus negócios, melhorar suas operações e seu perfil de risco, assim como acelerar seu desempenho organizacional para aproveitar ao máximo as melhores oportunidades.

A Oliver Wyman é uma subsidiária integral da Marsh & McLennan Companies (NYSE: MMC). Para mais informações, visite: www.oliverwyman.com. E siga a Oliver Wyman no Twitter: @OliverWyman.