A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA – International Air Transport Association) anunciou os resultados gerais do tráfego de passageiros de outubro de 2018, mostrando que a demanda (medida em quilômetros por passageiro e receita, ou RPKs) subiu 6,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse resultado marcou uma recuperação do crescimento considerando a taxa de 5,5% registrada em setembro, que foi uma baixa de oito meses. A capacidade também aumentou 6,3% e o fator de carga ficou estável em 81,1%, igual ao recorde no mesmo período do ano passado.

“O desempenho saudável obtido em outubro é animador após o crescimento mais lento da demanda em setembro, quando houve interrupções relacionadas ao clima. Porém, o cenário mais amplo é o crescimento do tráfego ter caído um pouco em relação ao início do ano, resultado do cenário econômico de características diversas e menor incentivo para redução de tarifas”, disse Alexandre de Juniac, Diretor Geral e CEO da IATA.

Mercados internacionais de transporte aéreo de passageiros

A demanda internacional de transporte aéreo de passageiros aumentou 6,3% em relação a outubro de 2017 e subiu 5,1% na comparação com o mês anterior. As companhias aéreas de todas as regiões registraram crescimento. A capacidade total aumentou 6,1% e o fator de carga subiu 0,1 ponto percentual, atingindo 79,8%.

As companhias aéreas da Europa apresentaram aumento de 7,5% na demanda de outubro de 2017, o maior entre todas as regiões e bem acima do aumento de 5,3% registrado em setembro de 2018. A capacidade subiu 7,0% e o fator de carga aumentou 0,4 ponto percentual, atingindo 85,2%, o maior entre todas as regiões. Considerando o cenário econômico heterogêneo na região, não está claro ainda se a recuperação será mantida.

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico registraram aumento de 5,8% no tráfego de passageiros em relação ao mesmo período do ano passado, ficando acima da taxa de 5,4% registrada em setembro. A capacidade subiu 5,4% e o fator de carga aumentou 0,3 ponto percentual, atingindo 78,9%. A demanda de passageiros continua subindo devido a mudanças estruturais, que incluem aumento dos padrões de vida na região e mudanças na rede que estimulam a demanda.

As companhias aéreas do Oriente Médio registraram aumento de 4,4% na demanda de outubro na comparação com o mesmo período do ano passado, o menor entre todas as regiões pela sétima vez em 12 meses. Mesmo assim, ficou acima do crescimento de 3,3% registrado em setembro. A capacidade subiu 6,4% e o fator de carga caiu 1,3 pontos percentuais, atingindo 69,8%, o menor entre as regiões. As companhias aéreas foram atingidas por medidas políticas e tensões geopolíticas nos últimos anos, incluindo a proibição de dispositivos eletrônicos portáteis e restrições de viagens. Porém, embora volátil, o volume de passageiros tende a subir de forma robusta sem ajuste sazonal

As companhias aéreas da América do Norte registraram aumento de 5,6% em outubro em relação ao mesmo período do ano passado, ficando acima da taxa de 4,9% registrada em setembro. O bom momento da economia dos Estados Unidos está ajudando a impulsionar a demanda internacional. A capacidade aumentou 3,7% e o fator de carga subiu 1,4 ponto percentual, atingindo 80,4%.

As companhias aéreas da América Latina foram as únicas a registrar queda no crescimento em relação a setembro, a taxa foi de 5,9% versus 6,3% em setembro. A capacidade aumentou 9,1% e o fator de carga caiu 2,4 pontos percentuais, atingindo 80,4%.

As companhias aéreas da África apresentaram aumento de 6,8% na demanda de outubro em relação ao mesmo período do ano passado, ficando acima da taxa de setembro de 6%. A tendência de aumento na demanda de passageiros permanece forte, apesar dos desafios que enfrentam as principais economias do continente, Nigéria e África do Sul. A capacidade subiu 5,5% e o fator de carga aumentou 0,9 ponto percentual, atingindo 70,3%.

Mercados domésticos de transporte aéreo de passageiros

O desempenho saudável obtido em outubro é animador após o crescimento mais lento da demanda em setembro, quando houve interrupções relacionadas ao clima
O desempenho saudável obtido em outubro é animador após o crescimento mais lento da demanda em setembro, quando houve interrupções relacionadas ao clima

A demanda interna subiu 6,4% em outubro em relação a outubro de 2017, e não apresentou mudança em relação a setembro. A capacidade subiu 6,7% e o fator de carga caiu 0,2 ponto percentual, atingindo 83,3%. China, Índia e Rússia apresentaram taxas de crescimento de dois dígitos, as maiores entre todos os mercados.

A Rússia registrou crescimento de dois dígitos no tráfego doméstico pelo terceiro mês consecutivo; a taxa foi de 11,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

A demanda doméstica do Japão se recuperou depois das interrupções significativas causadas pela passagem de um tufão em setembro, levando à redução de 4,7% no tráfego na comparação com o ano anterior. Em outubro, o tráfego subiu 1,7%.

Cenário geral

“A demanda por viagens aéreas aumentou com a chegada da temporada de férias de fim de ano. As guerras comerciais e incertezas sobre os impactos políticos e econômicos do Brexit continuam preocupantes, mas a recente flexibilização dos preços dos combustíveis é uma ótima notícia. Em alguns dias, a IATA realizará seu Dia Global da Mídia (Global Media Day) em Genebra, reunindo mais de 100 jornalistas e blogueiros de todo o mundo, quando então apresentaremos nossa previsão econômica atualizada, entre outros tópicos. Sempre espero animado por esta oportunidade de discutir e debater sobre as principais questões e iniciativas que a aviação comercial enfrenta com nossos colegas dos meios de comunicação”, disse Alexandre de Juniac.