Toda empresa deve possuir três pontos fundamentais: missão, visão e valores. Esse conjunto permite constituir objetivos que qualquer negócio precisa ter para encontrar êxito em suas atividades, além de orientar funcionários, colaboradores e parceiros na busca de resultados. Entretanto, com as atividades rotineiras, é comum que haja perda de conexão com os objetivos devido à falta de compreensão da cultura e dos diferenciais do mercado. Para evitar tal cenário, é fundamental a realização do Planejamento Estratégico, processo que orienta na tomada de decisões e que ajuda na alocação de recursos para o futuro.

Planejar é essencial para organizar, otimizar e tornar processos mais eficientes dentro de uma empresa, além de manter sempre presentes missão, visão e valores. “Conceituo planejamento estratégico como uma ferramenta capaz de direcionar as organizações quanto às suas metas. Toda instituição possui uma razão de sua existência, planejar ajuda alcançar esses propósitos”, analisou Renato Thé, diretor de Compliance da UGP Brasil, empresa que auxilia organizações a implementar Planejamentos Estratégicos.

O Planejamento é operado por meio de várias ferramentas de gestão organizacional, como a Matriz SWOT, que analisa aspectos internos (fraquezas e forças) e externos (oportunidades e ameaças) e a Matriz PEST que tem por base os fatores políticos, econômicos, sociais e tecnológicos de um negócio. A partir de métodos amplamente testados, cria-se o Planejamento Estratégico que deve ser dinâmico, ou seja, pode ser reajustado à medida que metas são atingidas, criando outras a serem perseguidas.

O diretor de Compliance da UGP Brasil também explicou que o estabelecimento de metas precisa estar associado a prazos de realização, de tal forma que a ferramenta possa ser dividida em objetivos de curtíssimo prazo (até 1 ano), curto prazo (até 3 anos), médio prazo (até 5 anos) e longo prazo (até 10 anos). “À medida que os prazos aumentam, as visões também são dilatadas para que haja convergência de ações”, completou Renato.

Benefícios

O Planejamento Estratégico pode ser adotado por novos negócios, empresas em crise, bem como naquelas que querem um diferencial no mercado. “Traçando objetivos, metas e ações, com prazos e projeções de investimento e despesas, com metodologias e ferramentas próprias para o trabalho, é possível prever para onde a empresa vai seguir e como corrigir os rumos, caso seja necessário”, explicou Alfredo Dezolt, diretor executivo da UGP Brasil.

Além de indicar os caminhos mais adequados para alcançar os objetivos, a ferramenta também auxilia no alinhamento e colaboração entre funcionários e gestores, uma vez que deixa claro quais os valores e metas a serem alcançadas pela empresa. Dessa forma, um bom Planejamento Estratégico permite visualizar todo o potencial do negócio, garantindo vantagens competitivas para sair à frente no mercado.