Após intensa negociação, a Comissão Europeia acaba de dar sinal verde para a fusão das companhias Freixenet e Henkell. As participações ficaram em 50% cada permitindo que administração seja feita em conjunto pela família fundadora e o grupo alemão que aportou cerca de 220 milhões de euros.

A líder mundial de Cavas estava nas mãos dos irmãos Hevia Ferrer, Pedro, Pilar e Eudaldo Bonet. O presidente honorário José Ferrer decidiu por ampliar sua participação com um aumento de capital e, deste modo, ele e o sobrinho, José Luis Bonet, que também não vendeu as ações, passaram a deter 50% do capital. O que fez com que a Henkell também mantivesse essa porcentagem de ações. Assim haverá uma co-presidência e dois co-presidentes um representando cada bloco de participação.

José Luis Bonet detém a presidência da Freixenet, cargo que dividirá com Albert Christmann, sócio-gerente da Dr. Oetker. Pedro Ferrer Noguer, filho de José Ferrer, também continua como CEO. Ele compartilhará a posição com Andreas Brokemper, CEO da Henkell.

Nesta semana também foi aprovada a constituição de um novo conselho administrativo composto por cinco membros (o anterior era composto por doze) que foi dado como independente ao empresário Demetrio Carceller, presidente da cervejaria Damm e vice-presidente da Sacyr. Os laços de Carceller com a Henkell são próximos, já que o grupo alemão de vinhos pertence ao grupo de alimentos Dr. Oetker, que é o segundo maior acionista da Damm com 25% do capital.

“A cooperação entre Espanha e Alemanha cria o líder mundial no setor de espumantes, permitindo que Henkell e Freixenet desenvolvam novos mercados e canais de distribuição e alcancem um crescimento sustentável”, disseram as duas empresas em comunicado.

De acordo com o presidente honorário da Freixenet, José Ferrer, “A cooperação com a Henkell não só dará continuidade à Freixenet, uma empresa reconhecida por sua tradição, mas também reforça a sua liderança internacional no mundo da cava”.

Henkell exalta parceria com Freixenet
Henkell exalta parceria com Freixenet

Por sua vez, Albert Christmann disse que “Henkell e Freixenet compartilham um profundo respeito pela tradição, qualidade e continuidade. A parceria estratégica ajudará a desenvolver novas oportunidades de negócios, fortalecendo nossa posição no crescente mercado mundial de espumantes”.

Finalmente, Enrique Hevia, o criador da operação de venda, considerou Henkell “o parceiro perfeito” para a Freixenet e desejou ao grupo “o melhor para o futuro”. “Nossas famílias querem agradecer a todos os funcionários por seu trabalho duro e lealdade ao longo dos anos”, disse ele.

A Freixenet, fundada em 1861, é a maior exportadora de bebidas da Espanha e a maior produtora mundial de vinhos espumantes. Vale citar que a fusão não afetará diretamente a operação da empresa catalã no Brasil. Porém, o grupo Henkell & Freixenet se consolida a nível internacional, se tornando a maior empresa produtora de espumantes do mundo.

Sobre a Freixenet:

Freixenet é líder global na comercialização de vinhos espumantes. Com 150 anos de história, a marca é conhecida por sua produção de Cavas, espumante espanhol que utiliza as uvas Macabeo, Xarel-lo e Parrellada e que só pode ter a denominação de Cava quando produzido na Espanha. Atualmente, Freixenet produz 100 milhões de garrafas por ano e em seu portfólio no país estão disponíveis os rótulos Cordón Negro, Carta Nevada e Cordón Rosado. Além disso, a marca ainda tem o Freixenet Vintage Brut Nature (sem adição de açúcar) e a coleção Premium, Elyssia Gran Cuvée, Elyssia Pinot Noir e a Super Premium Reserva Real, que pode ser comparada aos melhores champagnes do mundo.