Com custos mais baixos e menos burocracia, as chamadas de voz por aplicativos como WhatsApp, Skype e Facebook Messenger vêm ganhando cada vez mais adeptos pelo mundo. A Opensignal, empresa global e independente de análise móvel, lançou um relatório para avaliar e comparar a experiência do usuário desse tipo de ligação pelo 4G em 80 países pelo mundo.

A métrica se baseia na abordagem da União Internacional de Telecomunicações (ITU) para quantificar a qualidade das chamadas de voz por uma série de parâmetros técnicos. Essa medição é pioneira no mercado de análises móveis, revelando a verdadeira experiência de usuários de WhatsApp, Skype e Facebook Messenger ao realizar ligações de voz por redes 4G. Foram realizadas mais de 57 bilhões de medições em 23.8 milhões de celulares espalhados pelo mundo entre os dias 01/06 e 30/08.

Cada país foi classificado em pontuações de 0 a 100, que apontam se a experiência de chamadas de voz é Excelente, Muito Boa, Boa, Aceitável, Ruim, Muito Ruim, Ininteligível ou Impossível de se comunicar. (saiba mais abaixo)

O Brasil aparece na 39ª colocação no ranking geral, com 77 pontos, índice considerado Aceitável. Ou seja, as chamadas de voz funcionam, mas ainda existem problemas como chiado, volumes baixos e interferências. Na América Latina, o Brasil aparece atrás de Uruguai (78.6 pontos) e Porto Rico (78.5 pontos). A região, aliás, teve desempenho muito inferior em comparação à Europa e Ásia. No ranking geral, dois terços dos países latino-americanos apresentaram índice Ruim ou Muito Ruim. Já os europeus possuem 13 dos 19 mais bem colocados no ranking. A Bélgica lidera com 82.6 pontos, índice considerado Bom.

Nenhum país alcançou qualidade Excelente ou Muito Boa, o que se explica pela capacidade limitada e pela latência das redes 4G. Ou seja, os atrasos e variações no sinal são muito frequentes. Com a popularização do 5G, a tendência é que mais usuários tenham acesso a chamadas de voz com qualidade acima da média e latência baixíssima.

Confira o relatório completo: http://www.opensignal.com/sites/opensignal-com/files/data/reports/pdf-only/data-2019-10/voice_app_experience_october_2019_opensignal.pdf

Veja o ranking mundial completo:

 

Veja o ranking dos países da América Latina:

 

Entenda os critérios de avaliação do relatório:

Excelente (95 a 100): A maioria dos usuários está muito satisfeita com as chamadas de voz. Operadoras oferecem sinal consistente para a base de clientes.

Muito Boa (87 a 95): A maioria dos usuários está satisfeita. As operadoras geralmente fornecem uma boa experiência de qualidade de voz. Ocasionalmente, pode haver algumas deficiências na chamada, principalmente aquelas relacionadas ao volume.

Boa (80 a 87): Muitos usuários estão satisfeitos, e há alguns pequenos prejuízos menores na qualidade de alguns. Às vezes, o fundo não é muito claro, a ligação pode ter interferências ou não ser altas o suficiente. Sons de clique ou distorções são muito frequentes.

Aceitável (74 a 80): Os usuários estão satisfeitos. Há problemas perceptíveis na qualidade da chamada de alguns usuários. Alguns sons de curta duração ou distorções estão presentes, e o volume pode não ser suficientemente alto. O ouvinte geralmente é capaz de compreender sem repetição.

Ruim (66 a 74): Muitos usuários estão insatisfeitos e enfrentam prejuízos na qualidade da chamada. Distorções, sons de clique ou queda de sinal são frequentes durante as chamadas, o que é perceptível e pode ser irritante.

Muito Ruim (60 a 66): A maioria dos usuários está insatisfeita e sofre prejuízos significativos na qualidade da chamada. Ocasionalmente, ocorrem distorções, sons de clique ou silêncio durante a chamada. Pode ser difícil entender partes da conversa sem repetição.

Ininteligível (45 a 60): Quase todos os usuários estão insatisfeitos. Há ocorrência frequente de longas pausas, sons de clique ou distorções durante a chamada. É necessário que a repetição frequente de frases seja compreensível, ou há sobreposições na conversa.

Impossível de se comunicar (0 a 45)

Sobre a Opensignal

Opensignal é uma empresa de análise móvel que tem o padrão global independente para entender o verdadeiro estado das redes móveis do mundo com base em medições da experiência real do usuário. Seus relatórios do setor são o guia definitivo para a verdadeira experiência que os consumidores recebem em redes sem fio, e medimos de forma independente isso em todas as principais operadoras de rede do mundo. Saiba mais: opensignal.com/newsroom

Metodologia

A Opensignal mede a experiência real dos usuários de redes móveis. É feita uma análise dos dispositivos nos locais onde as pessoas realmente vivem, trabalham e viajam, todas as horas do dia, todos os dias do ano, em condições normais de uso, dentro ou fora de prédios, na cidade ou no campo. São publicados relatórios que traduzem a verdadeira experiência dos usuários com serviços móveis, da maneira que eles os utilizam. Continuamente a metodologia é adaptada para melhor representar as constantes mudanças no uso de dados móveis em todo o mundo, logo, comparações com resultados de pesquisas anteriores devem ser consideradas apenas indicativas. Saiba mais: opensignal.com/manifesto