O Ibovespa subiu 9,7% ontem a 69.729 pontos, seguindo o desempenho positivo das bolsas dos Estados Unidos, devido à expectativa sobre a aprovação do pacote de $2 trilhões para estimular a economia, que deve acontecer hoje após o Senado e o governo chegarem a um acordo nesta madrugada.

Nos EUA, futuros do S&P 500 e bolsas europeias caem levemente (após forte alta mais cedo), enquanto mercados asiáticos fecharam para cima, com Japão, China e Hong Kong em alta de 8%, 3% e 4%, respectivamente. Após subir quase 10% em dois dias, o ouro segue estável hoje.

O projeto do governo americano ainda está sendo escrito, mas deve incluir $500 bilhões em empréstimos e assistência às empresas e governos estaduais e locais. O montante já considera $50 bilhões para empresas aéreas. O pacote prevê ainda $350 bilhões a pequenas empresas e outros $150 bilhões para compra de equipamentos e suprimentos médicos.

Foi fixado que cada adulto de renda média e baixa vai receber $1.200 e cada criança, $500. O seguro desemprego terá critérios de acesso relaxados e será estendido para quatro meses, com seu valor aumentando. A Casa Branca estima que somando as medidas do Congresso com as do FED, o estímulo total injetado na economia americana pode chegar a $6 trilhões (cerca de 30% do PIB).

Para completar, o presidente Donald Trump falou ontem (24/3) em entrevista que espera que a economia esteja reaberta e funcionando no Domingo de Páscoa (12 de abril), refletindo os desejos dos empresários.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro foi Ontem (24/3) à TV para pronunciamento em que voltou a falar em histeria em torno da crise provocada pelo coronavírus, criticou governadores, pediu o fim do confinamento e disse que o país precisa voltar à normalidade. A fala, na contramão do que tem sido pregado por técnicos da saúde e adotado por países ao redor do mundo, foi fortemente criticada também no campo político.

Hoje (25/3), a Câmara prevê a estreia de seu sistema remoto de votações. Segundo o presidente Rodrigo Maia, haverá tentativa de se votar o “Plano Mansueto” (que trata da recuperação fiscal dos estados), a criação de um orçamento especial para o período de crise além da proposta do governo de oferecer um voucher a trabalhadores informais durante o estado de calamidade.

Paulo Guedes deu entrevista ao Valor e disse que o governo avalia elevar de R$ 200 para R$ 300 o valor do ‘cheque cidadão’, que deve chegar a 38 milhões de brasileiros com trabalho informal e orientou a equipe a acelerar a entrada de 1,2 milhão de pessoas no Bolsa Família. Em seguida, volta a focar nas reformas, em descompasso com o que discute agora o Congresso e o país.

Na agenda econômica, destaque para divulgação do IPCA-15 de março. O volume de serviços de janeiro também será divulgado, mas deve ter importância reduzida, uma vez que os dados de janeiro não conseguirão contribuir para a compreensão de qual tem sido a magnitude da desaceleração econômica brasileira causada pelo coronavírus.

Do lado das empresas, a ANEEL aprovou ontem a suspensão de cortes de energia por distribuidoras para consumidores residenciais e serviços essenciais por 90 dias. Acreditamos que o setor reagirá negativamente devido a um possível aumento significativo de inadimplência, que prejudicará muito a geração de caixa no período.